Carta do Especialista 18/02/2022

2022-02-18


Tempo de leitura: 5 minutos

Carta do Especialista! 🧐

Sexta-feira, 18 de fevereiro de 2022

Hoje você vai ver a importância do uso dos dados para entender o quanto o ser humano está interferindo na evolução das espécies. E, por outro lado, saber que este mesmo ser humano pode ajudar a humanidade com o desenvolvimento de novos produtos, como um curativo médico pra selar feridas internas.

Você verá dois exemplos de aplicação de tecnologias, seja mudando a forma como as crianças aprendem, seja como o esporte é praticado. Por último a prova de que as criptomoedas vieram pra ficar: novos processadores pra mineração destes ativos digitais.

Bem…Bora lá saber mais?

🌎 Evolução e as interferências humanas

Graças às mudanças climáticas, algumas espécies de animais e plantas, são capazes de se adaptar e evoluir. No entanto, o quão isto pode ser prejudicial dependendo do ponto de vista?
Charles Darwin, em 1859, dissertou sobre seleção natural em seu famoso livro A Origem das Espécies, segundo ele as mudanças acontecem, porém, nós não conseguimos ver até que tenha se passado um longo período.
Mas alguns estudos de 1970 encontraram evidências de que Darwin poderia estar errado sobre a escala de tempo: “as mariposas salpicadas que viviam nas áreas industriais da Grã-Bretanha estavam ficando mais escuras, melhores para se misturar aos prédios enegrecidos pela fuligem e evitar a predação aérea. Os pardais domésticos – introduzidos na América do Norte da Europa – estavam mudando de tamanho e cor de acordo com o clima de seus novos lares. O capim tufado que crescia ao redor de postes de eletricidade estava desenvolvendo uma tolerância ao zinco (que é usado como revestimento para postes e pode ser tóxico para as plantas).”
No final da década de 1990, o biólogo Andrew Hendry ao estudar sobre salmão, reparou mudanças igualmente rápidas em seu fenótipo. Hendry relata que: “talvez esta evolução rápida não seja tão excepcional”, o professor da McGill University em Montreal complementa dizendo que: “Talvez isso esteja realmente ocorrendo o tempo todo, e as pessoas simplesmente não enfatizam isso.”
Em novembro de 2021, um artigo publicado usando um novo conjunto de dados (chamado Proceed, para o Banco de Dados Evolutivo e Ecológico das Taxas Fenotípicas de Mudança), levou Hendry e colegas a reavaliar questões-chaves em trabalhos anteriores.
Eles constataram que em média as espécies em todo o mundo parecem estar ficando menores – o que contraria a teoria da regra de Cope, que diz que as espécies devem aumentar de tamanho ao longo do tempo “É melhor ser maior”, diz Kiyoko Gotanda.
Os especialistas especulam que a interferência humana é a responsável por mudanças climáticas e no caso dos peixes, por exemplo, a caça é um dos maiores impulsores dessa tendência, quando a rede de pesca é lançada, os maiores peixes são apanhados, logo os menores são os que sobreviveram e transmitem seus genes.
Outra indício é o clima, uma das regras básicas da biologia é que as criaturas maiores têm uma área de superfície maior em relação ao volume, por consequência, é mais fácil reter calor -“A teoria é que você não precisa manter esse tamanho corporal maior à medida que as temperaturas estão esquentando, e assim você pode ser menor”, diz Gotanda.
Bem… fica claro o quanto os seres humanos estão interferindo na natureza e, talvez não de uma forma positiva.
Saiba mais sobre o assunto no Wired.com

🩹 Curativo médico pode selar feridas internas do corpo

Foi desenvolvido um curativo médico transparente, inspirado em fita adesiva, que pode remendar feridas internas, como, por exemplo, lesões no estômago, evitando infecções e curando o ferimento. Os estudos em ratos mostraram que as lesões foram curadas mais rapidamente com a aplicação dele.
Pacientes pós cirurgia gastrointestinal correm o risco de ter vazamentos que podem causar infecções perigosas. Infelizmente milhões de pessoas são afetadas a cada ano. É comum os cirurgiões usarem pontos, para fechar as feridas, no entanto, estes pontos podem formar selos imperfeitos e curar anormalmente, permitindo que as bactérias do intestino escapem para os tecidos próximos.
Para resolver este problema, Xuanhe Zhao, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, junto com colegas projetaram um curativo transparente e degradável que ajuda a curar feridas intestinais de forma mais eficaz e rápida, sem vazamento – Os testes foram feitos em ratos e porcos.
O curativo, assim como a fita adesiva, é pegajoso apenas de um lado. No momento em que cobre a ferida, forma rapidamente um hidrogel, uma camada capaz de ajudar a cicatrização.
Outra vantagem é que o curativo é flexível, podendo funcionar em feridas com uma topologia de superfície complicada, além de também distribuir a pressão ao redor da ferida, aumentado a velocidade da cicatrização, pois algumas lesões ficam fracas por vários dias antes de cicatrizar.
Zhao e seus colegas estão agora procurando desenvolver o adesivo para uso em humanos e fundaram uma empresa, SanaHeal , para fazê-lo. Achei DEMAIS! E você?
Saiba mais News Cientist.

📱Telepresença com Robôs para que as crianças não faltem às aulas

Veronica Ahumada, é uma estudante de tecnologia em saúde e interações homem-robô na Universidade da Califórnia (UC). Ela desenvolveu um robô para que crianças doentes possam frequentar a escola de forma remota: o dispositivo é um tablet em um poste de um metro de altura, montado sobre rodas giroscópicas.
Em outros lugares dos Estados Unidos e diversos países, avatares e robôs rolantes também cumprem o papel de levar o usuário de forma remota ao seu destino: os aparelhos são chamados de robôs de telepresença e, a princípio, foram criados para permitirem que médicos realizem atendimentos a distância e executivos de empresas visitem instalações remotas.
O usuário mostra seu rosto para a tela, enquanto robô permite que o usuário veja, ouça e fale com os outros ao redor, como se estivesse presente.
Ahumada junto com outros pesquisadores acreditam que o dispositivo pode funcionar muito bem em sala de aula, fornecendo além do ensino, interações com outras crianças.
Apesar disso, os pesquisadores ainda não comprovaram a eficácia do ensino acadêmico, e se socialmente ou emocionalmente o dispositivo realmente ajuda. Por outro lado a tecnologia tem limitações: “os robôs não foram projetados para crianças e não funcionam bem em escolas com Wi-Fi irregular.”
Ahumada está “tentando descobrir como superar esses obstáculos”, diz Justin Reich, especialista em tecnologia educacional do Massachusetts Institute of Technology. Mas com Internet via satélite, Wifi6 e Internet 5G chegando isto não deve mais ser um obstáculo, não concorda?
Saiba mais no Science.org.

📹 Câmeras Hawk-Eye torna os jogos de Futebol mais justos

O futebol americano é um esporte incrível, difícil e requer atenção para que não tenha grandes injustiças dentro do jogo, além de sempre haver o risco de lesões, nestes casos o cuidado nunca é demais.
E pensando nisso a tecnologia da Hawk-Eye está agora presente nos esportes para proporcionar partidas mais rápidas e com resultados mais assertivos. A tecnologia da Hawk-Eye consiste em câmeras multi-ângulos sincronizadas que podem ajudar a rastrear muitos pontos de dados no campo da partida.
“Com sua tecnologia de ponta, é capaz de ajudar a chamar a filmagem certa no momento certo, apoiando os processos de tomada de decisão do árbitro. E isso é apenas o começo do que foi planejado. Sem trocadilhos, mas os resultados são um verdadeiro divisor de águas.”
As câmeras funcionam tão rapidamente que para os fãs, pode passar despercebido se estiver sendo usada para ajudar a determinar a pontuação da partida. Os espectadores passar a participar muito mais ativamente da partida, interagindo de várias maneiras. E a tecnologia acaba reduzindo também as falhas dos árbitros que ficaram em dúvida sobre os lances.
Vemos o VAR funcionando nos jogos de futebol, por aqui, mas já parece pré-histórico perto desta nova tecnologia vinda da terra do Tio Sam…
Saiba mais no Digital Trends.

🪙 Redução de 1000 vezes em custo para minerar bitcoin

A Intel entrou no mercado de processadores de mineração de criptomoedas com uma proposta ousada. Ela promete reduzir custos de mineração em 1000 vezes.
Os primeiros a receber os processadores serão os grandes clientes que trabalham na área. Os chips são pequenos, então não terá escassez de materiais para produção. E no blog oficial da Intel, o fornecimento dos processadores começará em breve.
Segundo o vice-presidente sênior da Intel, Raja Koduri, o processador fornecerá 1000 vezes mais desempenho por watt para mineração com base em algoritmos SHA-256 do que aceleradores gráficos.
Ainda não foram reveladas as especificações técnicas do chip e a expectativa é que isto aconteça na próxima semana, dia 23 de fevereiro, na conferência ISSCC… Vamos aguardar!
Saiba mais no Live Coins.

Por hoje é só! Até a próxima semana 👋



Você também pode se interessar

Futuro da Indústria no ABC

Futuro da Indústria no ABC

Fique por dentro de tudo!