Carta do Especialista 16/11/2021

2021-11-20



🧫 Uma nova maneira de fazer com que micro robôs se movam

Você sabe o que é biomimética? De uma maneira resumida, é replicar na ciência exemplos da natureza. É muito interessante e vale se informar mais. Bem...Uma equipe de tecnologia da ETH Zurich está investindo em um projeto de micro robôs a partir deste conceito: os pesquisadores tiveram inspiração na natureza, mais especificamente na larva da estrela do mar, para fazer com que os minúsculos robôs, menores do que o diâmetro de um fio de cabelo humano, e que foram criados a partir da fotolitografia, se movam sem usar bateria.

Eles são cobertos por versões sintéticas dos cílios que cobrem a estrela do mar. Por serem extremamente finos, estas estruturas batem na água circundante em padrões e criam pequenos vórtices, puxando e empurrando a água.

A equipe aplicou ondas de ultrassom, técnica muito inovadora, e conseguiram criar a propulsão para que os robôs nadassem em linha reta.

Iniciativas como esta podem trazer diversos avanços, principalmente na área da saúde. Um dos objetivos é que eles consigam entregar medicamentos diretamente no local de um tumor, por exemplo, melhorando a eficácia e reduzindo efeitos colaterais.

No entanto, ainda existe um grande desafio: para que estas minúsculas máquinas sejam direcionadas ao local correto, é necessário ter imagens nítidas em tempo real. Os pesquisadores estão incorporando agentes de contraste, como os já usados em imagens médicas de ultrassom, com esta finalidade.

Já pensou como a Medicina será transformada, depois de iniciativas como esta forem aprovadas e popularizadas?

Saiba mais no Tech Crunch. https://tcrn.ch/3F5t4y2


🚗Aptera abre capital para fabricação de novos Carros Solares

A Startup Aptera, pioneira em projetos de carros solares para produção em massa, recentemente anunciou que abriu o capital para construção de suas primeiras micro fábricas, repensando o modelo tradicional de fabricação.

A empresa iniciou em 2005 e fechou em 2008 por conta da crise, mas conseguiu voltar ao mercado por financiamento coletivo, e agora pretende captar investimento para este projeto pelos próximos 9 a 18 meses.

A aposta da startup é uma linha de montagem simplificada, sem necessidade de grandes soldas e maquinários, reduzindo o custo de fabricação e priorizando o fornecimento para o público local.

O objetivo inicial é o de lançar 40 carros por dia, podendo chegar a 800 carros “Paradigm” por mês. Mas com 13 mil pedidos de carros - um número bastante promissor, logo precisarão de mais fábricas para atingir a demanda.

Confira a matéria no Olhar Digital. https://bit.ly/2YAEIBk

🗣️Novo aplicativo de reconhecimento de voz para deficientes de fala

É bom demais quando vemos a tecnologia ajudando o ser humano a superar as suas deficiências, não acha? O Google está conduzindo um novo projeto de aplicativo, com o intuito de ser uma alternativa para quem tem dificuldade com a fala.

Derivado do projeto “Euphonia” de 2019, o aplicativo do novo projeto “Relate”, faz o reconhecimento e síntese de voz. A função “ouvir” transforma a fala do usuário diretamente em texto, para que possa ser lida por outra pessoa. O “repetir” ouve e repete o que usuário disse, enquanto a “assistente” encaminha a fala transcrita diretamente para o Google Assistente para integrar com as tarefas – comumente utilizado por nós em funções simples como trocar de música ou perguntar a previsão do tempo.

O fato deste projeto ser uma nova tentativa, é que este tipo de aplicação é uma missão muito complicada: é necessário registrar muita fala gravada, para o reconhecimento e interpretação, o que pode ser um desafio devido a diversos sotaques e padrões diferentes, além das próprias dificuldades na fala.

Sendo assim, o Google foi primeiro coletar o máximo de dados possíveis, construindo uma base de mais de 1 milhão de falas voluntárias, usadas para treinar o algoritmo da IA de reconhecimento de fala. Como qualquer sistema, quanto mais dados e quanto mais específicos, melhores os resultados!

Confira a notícia no Tech Crunch. https://tcrn.ch/3okTDZh

🔍Algoritmos de detecção de doenças de pele politicamente incorretos?

Muitas vezes ressalto a importância da ética e isenção nas aplicações de tecnologia. Olhe só esta notícia...Uma análise recente sobre algoritmos de detecção de doenças de pele, mostrou que os treinamentos destes algoritmos não incluíram informações suficientes sobre o tom da pele das pessoas estudadas.

Constataram que, dentre o conjunto de dados e imagens onde o tom da pele estava disponível, não havia muitos dados sobre tons mais escuros e, portanto, o algoritmo poderia não ser tão eficaz para detectar doenças em peles negras, tornando a ferramenta tendenciosa.

Outros estudos publicados em setembro, mostraram resultados semelhantes, onde em cerca de 70 deles, apenas 7 descreveram os tipos de pele nas imagens usadas. A conclusão é que o recurso seria útil apenas para pessoas brancas.

É importante que, novas imagens sejam adicionadas a conjuntos de dados para que os pesquisadores possam analisar os resultados de testes com pessoas com pele mais escura. A transparência e a clareza dos conjuntos de dados são fundamentais para que os pesquisadores progridam em suas pesquisas e desenvolvam ferramentas de IA mais equitativas.

Vale reforçar que não se sabe se houve alguma intenção neste coleta enviesada...Pode ser que a região em que ela foi feita, tenha um público em maioria com pela clara...Vamos pensar duas vezes antes de julgarmos errado.

Saiba mais no The Verge. https://bit.ly/3kvq7PA


📚MBAs para todos! Indianos…😅

Quem me conhece sabe que repetidamente reforço que o principal problema de nosso país é a educação. Que se nosso povo tivesse acesso à educação, nosso Brasil seria um dos líderes do mundo. E me refiro à um nível de educação mais básica, o que vários países como grande parte dos europeus, já resolveu.

A Índia é um bom exemplo de país em desenvolvimento que consegue educar um percentual enorme de sua população em muito além do básico. Tanto que agora a preocupação deles é popularizar o MBA.

Iniciativas de alternativas para o MBA tradicional existem aos montes, até porque as escolas de negócio são muito caras e acessíveis para um público muito restrito, com tempo e dinheiro para investir neste tipo de conhecimento.

A startup indiana Stoa School, com o apoio de investidores e cofundadores, levantou milhões para trazer uma alternativa não credenciada, de alta qualidade para o ensino superior de negócios na Índia, se posicionando de maneira muito promissora.

Hoje a Stoa disponibiliza um programa de 6 meses de meio período, o “StoaMBA”, que combina habilidades relevantes de tecnologia com fundamentos de negócios para todos os estudantes, que passam 12 horas por semana, três semanas por mês, com o programa. Boa parte da programação acontece, ao vivo, nos finais de semana por meio de aprendizado baseado em Coorte (CBC), que integra o conteúdo à comunidade, hackathons de casos de negócios e palestras básicas consumidas de maneira assíncrona ao longo da semana.

A startup ainda não é capaz de ajudar outras startups da índia a terem maior número de vagas preenchidas, mas já está conseguindo treinar pessoas para serem generalistas dentro no mundo de vendas e operações.

Saiba mais detalhes no Tech Crunch. https://tcrn.ch/3qtM1Xh

Por hoje é só! 😉

https://linktr.ee/Renatograu
Tempo de leitura: < 1 minuto


Você também pode se interessar

Fique por dentro de tudo!