Carta do Especialista 05/11/2021

2021-11-08


Tempo de leitura: 4 minutos

Carta do Especialista!🧐 Sexta-feira, 05 de novembro.

Na carta de hoje vou falar sobre a tecnologia que vai possibilitar usar internet pela luz, compartilhar o que os fabricantes de cosméticos têm em mente para o futuro dos produtos de beleza e comentar do projeto de tecido inteligente que o Google está retomando. Além disto…Que tal voar de moto? E descobrir que a Inteligência Artificial já pode demonstrar ética?
Tudo isso e muito mais! Bora lá?

💡Precisa de internet? Conecte seu notebook à sua lâmpada!!!!

Você já conhece muito bem Wi-Fi, sistema de comunicação sem fio por ondas de rádio. Mas pesquisadores do IMDEA Networks Institute, na Espanha, desenvolveram um sistema semelhante mas com comunicação a partir dos pulsos de luz, emitidos por lâmpadas do tipo LED, com uma taxa de transmissão até 100 vezes maior. Esta tecnologia foi batizada de Li-Fi e não requer bateria, tornando-a sustentável.

O princípio desta tecnologia é o mesmo usado por modens e cabos de fibra óptica mas está sendo aplicado em lâmpadas de LED (do tipo das que já temos em casa): o receptor capta a frequência dos pulsos de luz, enquanto as informações são fornecidas pela modulação desses LEDs. Os dados são enviados de volta, refletindo os sinais de RF no ambiente.

Os pesquisadores pretendem expandir este projeto através do uso em células solares, o que poderá amplificar a transmissão de dados em longo alcance. Vale lembrar que a luz não atravessa paredes ao contrário das ondas de rádio. Mas bastaria espalhar lâmpadas de LED com pequenos painéis solares pelos cômodos de uma casa, por exemplo, para manter o alcance e a qualidade do sinal da rede de transmissão.

Muito legal, não é?

Saiba mais no Canal tech. Sistema Li-Fi usa luz para transmitir dados sem precisar de bateria

💆‍♀️Será que as empresas de cosméticos irão parar de judiar dos animais?

Desenvolver produtos de beleza sem o uso de substâncias extraídas da terra ou de animais, ou ainda sem testá-los nos “bichinhos”, continua sendo um grande desafio: mas a startup de beleza de alta tecnologia Arcae nos traz grandes esperanças para o futuro.

A fundadora e CEO, Jasmina Agnovic, pretende ir além, criando componentes totalmente novos que não são encontrados na natureza. Ela passou sua carreira pensando em como a biotecnologia pode mudar a indústria da beleza. Isto inclui uma passagem em 2019 pela Ginkgo Bioworks, onde nutriu bastante interesse pela plataforma Foundry, um laboratório que permite que os cientistas reprogramem células da mesma forma que programamos computadores. A partir dela, Jasmina irá cultivar células que poderão ser usadas em cosméticos.

Alguns exemplos de ingredientes que podem alcançar novas funções: um protetor solar que torna a pele mais resistente aos raios solares e xampu que altera as proteínas do cabelo para memorizar o penteado.

Estou ansioso para ver os resultados e você?

Confira os detalhes desta notícia no Fast Company. The makeup of the future will be grown in a petri dish

👕Projeto Tecido inteligente Jacquard do Google: será que agora decola?

A tecnologia de tecido inteligente do projeto Jacquard do Google já existe desde 2015. As roupas feitas com este tecido deverão possuir uma tag própria que fará a comunicação do tecido sensível ao toque com os aplicativos dos smartphones e outros devices.

A Levi’s foi a primeira empresa a lançar uma roupa com esta tecnologia em 2017 mas pelo preço de US$ 350 as pessoas não viram vantagem em ter recursos já disponíveis dos “smartphones” e “smartwatches”. Dois anos depois tentaram uma nova abordagem com etiquetas menores integradas em outra linha de produtos Levi´s mas, de fato, não vingou.

Agora a Google volta a investir na ideia, talvez para evitar o mesmo final dos Google “Glasses”, cuja ideia, depois de alguns anos, começa a fazer sucesso mas, nos concorrentes, como Facebook, Rayban, e Microsoft.

Atualmente o projeto foi relançado com um novo SDK (software para comunicação com aplicativos de terceiros) para que desenvolvedores terceirizados possam integrar a tecnologia a seus próprios softwares. Resta saber o quão bem eles irão abraçar este projeto e se terão suporte necessário do Google para isso. Não sei a Google chegará lá desta vez. Mas aposto que alguém vai…

Saiba mais no The verge. Developers can now try on Google’s Jacquard smart fabric tech

🏍️Motocicleta voadora! E não foi um acidente de trânsito…

Em filmes/séries futuristas é bem comum ver veículos voadores… Me diga que você nunca teve vontade de dirigir um destes!

Bem, aqui mesmo no meu newsletter, já mencionei alguns projetos com esta finalidade e pode acreditar que algo nesta linha talvez não esteja tão distante de nossa realidade.

Desde 2017 a empresa japonesa ALI Technologies, vem trabalhando no projeto da futurística Hoverbike Xturismo e recentemente fizeram um teste de voo público provando que realmente funciona.

O piloto sobrevoou uma pista de corrida de Tóquio, com a presença de membros da mídia e outros convidados. Os criadores do Xturismo afirmam que o veículo pode atingir velocidades de até 100 km/h e voar por até 40 minutos. No entanto, a demonstração foi feita com algumas voltas, devagar e próximo ao solo.

Confesso que teria sido legal assistir em alta velocidade e com mais manobras… haha

A projeção é que, no próximo ano, a Hoverbike comece a ser vendida (já adianto que não será nada barata…) por algo perto de US $680.000, com planejamento inicial de 200 unidades. Mas calma, não teremos motocicletas voando no céu livremente em locais públicos tão cedo, pois ainda precisam de uma série de aprovações dos reguladores locais.

Esta notícia é do Digital Trends. Watch This Futuristic Hoverbike Take a Tentative Test Flight | Digital Trends

🤔 Será que uma IA pode ter senso ético?

Que Inteligência Artificial é uma das maiores apostas de tecnologias disruptivas para os próximos anos, não há dúvidas. No entanto, apesar de serem softwares muito inteligentes, ainda não são capazes de distinguir certo e errado. Mas pesquisadores da Universidade de Washington, do Instituto Allen e da Inteligência artificial (Ai2) em Seattle, estão treinando um algoritmo – “Delphi” – para responder questões de valores humanos: você pode fazer perguntas éticas e receber respostas válidas e sensatas.

Algumas respostas foram um tanto chocantes e até que ponto o Delphi pode distinguir entre enigmas éticos, depende muito do contexto. Exemplos:

Pergunta: “Matar um urso?” – Resposta: “Está errado.”
Pergunta: “Matar um urso para proteger meu filho?” – Resposta: “Tudo bem.”

O interessante é que perguntas como estas Delphi aprendeu sozinho.

Após o treinamento, a AI conseguiu atingir uma pontuação de 92% de boas respostas, melhor que tentativas anteriores. E claro, isto ainda deixa espaço para erros.

Tipos de erros que foram encontrados rapidamente depois de publicados na internet:

Pergunta: “Prender pessoas se isso criar mais empregos?” – Resposta: “Tudo bem.”
Pergunta: “Cometer genocídio, se isso me deixa muito, muito feliz? – Resposta: “Tudo bem.”

O projeto ainda está em desenvolvimento, mas já deu para perceber que precisa de bastante aperfeiçoamento. Diversos desenvolvedores e especialistas deram suas opiniões sobre este tema, vale a pena conferir no Wired. This Program Can Give AI a Sense of Ethics—Sometimes

Por hoje é só! Semana que vem tem mais!😉@Renatograu | Linktree



Você também pode se interessar

Fique por dentro de tudo!