O que esperar de 2019

  • 31 de Janeiro de 2019
  • Blog

O que esperar de 2019

O ano começa em meio à uma mistura de sentimentos, de um lado temos a esperança de que a atividade econômica irá melhorar, os índices e dados começam a apontar melhoras nas perspectivas, por outro lado temos uma série de notícias de corrupção que estão inundando nosso dia-a-dia e fazendo com que fiquemos mais céticos.

Segundo especialistas em economia, as projeções do Governo são de 3,5% de crescimento do PIB enquanto os especialistas projetam algo em torno de 2,5%.

Estas projeções maiores estão fortemente ligadas a reformas do governo, principalmente à reforma da previdência, em havendo andamento destas reformas as projeções poderão mudar ao longo do ano.

E no mundo da tecnologia o que podemos esperar?

Estamos em meio à uma transformação digital que está presente cada vez mais forte em nossas vidas, o que antes era coisa apenas dos jovens que gostavam das coisas que estavam na “moda”, agora é assunto em vários lares. A forma como interagimos com a tecnologia está mudando muito.

Em um evento em Portugal em 2018 estive presente no WebSummit Lisboa e lá ouvi de um palestrante, se não me engano o gestor de T.I. da VolksWagem dizendo que: “A Tecnologia estará cada vez mais presente em nossas vidas e quanto menos perceber a sua utilização mais moderna ela será”. E de fato é isso, temos visto assistentes pessoais, plataformas de conversação, Inteligência Artificial e Robôs que estarão cada vez mais presentes em nossas vidas, talvez não aos nossos olhos, mas com certeza estarão presentes.

Tenho visto pessoas com mais idade que antes não sabiam lidar com o celular pesquisando coisas tranquilamente usando assistente de voz dos celulares, você tem percebido isso?

O Gartner apresentou as 10 tendências tecnológicas estratégicas que as organizações devem começar a explorar já em 2019.

Coisas Autônomas: Robôs, drones, veículos autônomos, etc.

1 - Analítica Aumentada (Augmented Analytics): É uma forma de usar o Machine Learning para transformar o modo como o conteúdo analítico é desenvolvido, consumido e compartilhado. É algo como uma lapidação de dados para deixa-los pronto para o mundo digital

2 - Desenvolvimento orientado por AI: A inteligência artificial está ajudando também no desenvolvimento de novas aplicações, sugerindo informações, dados e mecanismos para os programadores conseguirem fazer programas cada vez mais eficientes.

3 - Gêmeos digitais: Um gêmeo digital é uma representação digital de uma entidade ou sistema do mundo real, melhorando sua capacidade de coletar e visualizar os dados corretos, aplicar as análises e regras e responder efetivamente aos objetivos de negócios.

4 - Empowered Edge: É uma topologia de computação na qual o processamento de informações e a coleta e entrega de conteúdo são colocados mais próximos da extremidade da rede, reduzindo o tráfego e a latência.

5 - Experiência imersiva: Até 2028, a experiência do usuário passará por uma mudança significativa na forma como os usuários percebem o mundo digital e como interagem com ele.

6 - Blockchain: O Blockchain representa uma alternativa aos modelos centralizados de confiança que compõem a maioria dos detentores de registros de valor.

7 - Espaços inteligentes: O Gartner define espaços inteligentes como ambientes físicos ou digitais povoados por humanos e capacitados pela tecnologia, criando ecossistemas cada vez mais conectados, inteligentes e autônomos. Múltiplos elementos – incluindo pessoas, processos, serviços e coisas – se reúnem em um espaço inteligente para criar uma experiência mais imersiva, interativa e automatizada.

8 - Ética e privacidade digital: A ética e a privacidade digitais são preocupações crescentes para indivíduos, organizações e governos. As pessoas estão cada vez mais preocupadas sobre como suas informações pessoais estão sendo usadas por organizações dos setores público e privado, e a reação só aumentará para organizações que não estejam abordando proativamente essas preocupações.

9 - Computação quântica: A Computação Quântica é um tipo de computação não-clássica que opera no estado quântico de partículas subatômicas (por exemplo, elétrons e íons) que representam informações como elementos denotados como bits quânticos (qubits). Indústrias como as organizações automotivas, financeiras, de seguros, farmacêuticas, militares e de pesquisa têm mais a ganhar com os avanços na computação quântica. Na indústria farmacêutica, por exemplo, a tecnologia poderia ser usada para modelar interações moleculares em níveis atômicos para acelerar o lançamento de novos medicamentos para tratamento de câncer ou poderia acelerar e prever com mais precisão a interação de proteínas levando a novas metodologias farmacêuticas. Segundo o Gartner, até 2023, 20% das organizações estarão orçando projetos de computação quântica, em comparação com menos de 1% hoje.

Além das tendências citas pelo Gartner incluo também uma outra tendência, JOMO (joy of missing out). Nos anos anteriores escutamos falar do FOMO (Fear of missing out) uma espécie de síndrome que algumas pessoas desenvolviam ficando ansiosas com a ideia de perderem alguma informação, dada a quantidade de informações presentes em nosso dia-a-dia, conseguir absorver tudo é uma tarefa impossível. Porém existe agora uma nova tendência JOMO (joy of missing out) é algo como estar feliz por estar desconectado. Existia um grupo de estudiosos que incluidam pessoas do Facebook, fabricantes de celulares e desenvolvedores de aplicações estudando formas de diminuir nossa dependência ao celular, acredito que este grupo começou a desenvolver esta tendência que faz com que a população “queira desconectar-se” e conectar mais com seu bem-estar.

Portanto, além de melhoria na atividade econômica podemos esperar um ano cheio de novidades na tecnologia, mas fiquemos cientes que muitas vezes não vamos ver o resultado desta mudança mas com certeza vamos “conversar com ela” ou “seguir o que ela está nos mostrando”, seja com inteligência artificial focada em plataformas de conversação ou melhoria de dados e informações que serão apresentados para nós cada vez que pesquisamos algo no Google, por traz disso muitas inovações estão acontecendo.

Saliento que parte destas inovações para serem utilizadas como fator de diferenciação, seja profissional para cada indivíduo ou empresarial para as instituições, é necessário que haja uma mudança de MindSet na forma como usamos a tecnologia e nisto o ITESCS e outros institutos e movimentos de Startup podem ajudar muito, fique por dentro e pesquise qual o mais próximo de você e envolva-se!

Ótimo 2019 e sucesso para você!

Luiz Schimitd

Presidente do Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul

Diretor da Schimitd Segurança e Serviços

 linkedin.com/in/luizlopesschimitd/


e-mail: coordenacao@itescs.com.br


(11) 4221-5011


Scroll to Top