Entrevista com mulheres incríveis.

  • 30 de Julho de 2019
  • Blog

Entrevista com mulheres incríveis.

Aqui é a Fabíola Oliveira, fundadora da RDA Consultoria Humana e diretora de RH do ITESCS. No dia 06/05/2019, tivemos um encontro esclarecedor no grupo RH 4.0 com as sócias da Be Flexy,  Manuela Brandão Borges Flávia Gusmão , que nos presentearam com uma palestra sobre jornadas de trabalho flexíveis.

 

O papo foi tão rico que resolvemos estender a conversa e fazer uma breve entrevista com essas mulheres incríveis.

 

Fabíola: Falem um pouco sobre vocês

 

Flávia: sou Baiana, administradora, casada, mãe da Maria Clara, de 7 anos, e do João Pedro, de 11. Tenho experiência de 20 anos nas áreas de vendas e marketing, no ramo de contact center. Atuei em empresas como Atento, Contax e Tel. Fiz MBA na FIA/USP e no Insper. Trabalhei na Tel em jornada flexível, e dessa experiência nasceu a Be Flexy. Hoje, trabalho com propósito em uma jornada de 40 horas, mas com horários flexíveis. Acredito que o trabalho é uma fonte de vida e que é possível ser feliz e produtiva integrando vida pessoal e profissional.

 

Manuela: também sou baiana, administradora, casada, mãe do Matheus, de 10 anos. Tenho experiência de 20 anos nas áreas de vendas, produtos e projetos. Atuei em empresas como Ticket, Rede e Dupont. Fiz MBA no Insper e na FIA/USP. Trabalhei em jornada flexível em uma startup de meios de pagamentos, e acredito que a flexibilidade no trabalho traz inúmeros benefícios para a empresa e para o profissional.

 

Flávia, como nasceu a ideia de criar a Be Flexy?

 

Sempre gostei muito de trabalhar, ficar 10 horas no escritório não era um problema para mim. Mas, quando tive meu primeiro filho, em 2008, percebi que seria bem difícil manter aquele ritmo. No meu caso, foi ainda mais desafiador: o João Pedro nasceu com alguns problemas de saúde e eu tinha que levá-lo a consultas médicas e exames. Felizmente, tive gestores muito compreensivos, e consegui conciliar essas duas frentes tão importantes para mim: meu filho e minha carreira. Em 2011 nasceu a Clarinha, com ela veio uma demanda adicional de tempo. Para completar, em 2012 o João Pedro passou por uma cirurgia importante. Tentei conciliar as frentes por mais um ano e meio, mas, em 2014, percebi que não dava mais e decidi sair do mundo corporativo. O Pepê precisava de mais apoio para o seu melhor desenvolvimento e tínhamos de buscar programas complementares. Depois disso, vivi 18 meses de dedicação exclusiva à família e ao tratamento dele. Em meados de 2015, decidi retomar a minha carreira e achei que era hora de buscar um novo caminho. Recebi três propostas excelentes, no modelo tradicional de trabalho. Foi quando o dono de uma quarta empresa entrou em contato. Conversamos e fechamos um esquema de 25 horas por semana, pelo tempo que eu precisasse. Troquei dinheiro por tempo, aceitando abrir mão de ter um carro e de uma parte do meu salário. Também aceitei um contrato de prestação de serviços. Nessa empresa, assumi a diretoria comercial e logo percebi que poderia adotar novos hábitos e me tornar mais produtiva. Construir uma relação de confiança com a equipe foi primordial, assim como fazer um acordo de expectativas com os sócios. Fiquei lá por 18 meses, quando recebi uma proposta de uma empresa líder de mercado na qual eu já havia trabalhado. Achei que seria possível voltar a um ritmo mais acelerado e aceitei. Foi uma experiência muito rica, mas, ao mesmo tempo, exigiu uma dedicação praticamente exclusiva. Sem perceber, acabei me afastando da minha família e isso não era o que eu queria. E aí surgiu a ideia de criar a Be Flexy.

 

Manu, como a Be Flexy contribui para um mundo melhor?

 

Percebemos que esse dilema acima não era somente da Flávia, já que 48% das mulheres deixam o mercado de trabalho após a licença maternidade. Estudando o tema mais a fundo, constatamos que a diversidade nas empresas é necessária, não só como uma causa social ou inclusão, mas também do ponto de vista de geração de resultados, uma vez que as equipes diversas são mais criativas, dinâmicas e complementares. Com isso, queremos transformar de forma positiva a vida das pessoas e das empresas, à medida que oferecemos opções de jornadas flexíveis por meio das quais a profissional terá um dos seus maiores ativos, que é o tempo, sendo melhor aproveitado, integrando todos os aspectos da sua vida de forma mais equilibrada. E as empresas conseguem mais produtividade, flexibilidade e propósito, pois podem contar com times mais diversos, engajados, colaborativos e criativos.

 

Flávia, como a tecnologia e o RH podem se unir para proporcionar uma experiência acolhedora para os colaboradores?

 

Acredito que a tecnologia vai ajudar o RH a automatizar as tarefas mais operacionais, e com isso a área vai ter mais tempo para proporcionar uma experiência mais acolhedora para o colaborador, em seus diversos momentos do ciclo de vida naquela empresa. Cito dois exemplos:

  1. No processo de seleção, a tecnologia pode ajudar na assertividade e no filtro para selecionar os perfis mais aderentes para a entrevista;

  2. Onboarding: a Accenture tem um vídeo muito bacana sobre onboarding com inteligência artificial, óculos VR, games etc. Confira o vídeo “Nos Passos de Laura” e veja como a tecnologia ajudou em cada etapa do processo: https://www.youtube.com/watch?v=lJvfKM4-iPs 

 

Manu, com tantas mudanças acontecendo, como será o profissional do futuro?

 

Essa é uma pergunta de ouro! De acordo com a ONU, as dez habilidades mais importantes para o profissional do futuro serão: flexibilidade cognitiva, negociação, orientação por servir, tomada de decisões, inteligência emocional, conexão e colaboração entre os profissionais, gestão de pessoas, criatividade, pensamento crítico e resolução de problemas complexos. Todas essas habilidades são focadas no ser humano, e não nas máquinas. Por isso, eu imagino um profissional com mais foco no ser, na colaboração, na inovação e na solução de problemas.

 

Manu, como foi participar do 11º encontro do Grupo RH 4.0?

 

Foi uma excelente experiência! Muito bom compartilhar conteúdo e trocar informações com pessoas que acreditam em um novo olhar para o RH. E parabéns a você, Fabíola, pela iniciativa e pelo seu olhar humano nas relações profissionais.

 

Onde podemos encontrar vocês?

 

Estamos disponíveis nas redes sociais e também no WhatsApp.

Seguem os nossos contatos:

 

Site: www.beflexy.com.br

Cel.: 11 95915-9195

e-mail: contato@beflexy.com.br

LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/beflexy

Instagram: https://www.instagram.com/be_flexy_jornada_flexivel/

 

 

Então, deu para entender a minha empolgação com o tema e com a Be Flexy? E você, quer participar dos encontros do Grupo RH 4.0 e acompanhar palestras tão incríveis como essa? Acompanhe a programação dos eventos nas redes sociais do ITESCS!

 

Grupo RH 4.0: esvaziar encher, esvaziar preencher, oxigenar.

 

Até mais!

 

Fabíola Oliveira


e-mail: coordenacao@itescs.com.br


(11) 4221-5011


Scroll to Top