Empreendedorismo digital: O que é e qual é a importância dele no mundo de hoje?

  • 17 de Outubro de 2019
  • Blog

Empreendedorismo digital: O que é e qual é a importância dele no mundo de hoje?

O mundo está em constante transformação e com o avanço da tecnologia em diversos setores, as pessoas têm mudado também, tanto a forma de consumir e lidar com os negócios. Nesse momento, surge o empreendedorismo digital.  

O termo empreendedorismo foi adotado pela primeira vez na França, onde tinha o nome de entrepreneur. O significado? Uma pessoa com perfil desafiador, que assume riscos e começa coisas novas, tira ideias do papel e sai da zona de conforto. Mas, ainda havia uma certa confusão entre essa denominação e a do capitalista, uma pessoa que fornecia o capital.

Tudo foi resolvido com o avanço industrial, onde cada função ficou clara, sabendo que o empreendedor é alguém desvinculado de terceiros, que coloca a mão na massa e age com os próprios investimentos. A medida que as Revoluções Industriais chegaram e realizaram transformações na produção e no consumo, as oportunidades para começar novos negócios ficaram maiores.

Cenário brasileiro antes do empreendedorismo digital

Lá por volta dos anos 90, é o período que o empreendedorismo mais avançado finalmente chega ao Brasil, com a abertura do país para a economia após a ditadura militar e consequentemente com a entrada de capital estrangeiro e aumento da competitividade.

Obviamente já se abriam novos negócios com um perfil semelhante na época do Brasil Colônia e com os senhores de engenho, mas não com o mesmo cenário. Na década de 90, diversos nomes se destacaram, como Attilio Francisco Xavier Fontana, fundador e proprietário da Sadia, que fundiu com a Perdigão e deu origem à gigante BR Foods.

Com o tempo, as coisas foram mudando. Em 2009, estimava-se que havia cerca de 19 milhões de empreendedores no Brasil, em setores diversos. Já em 2018, nós chegamos ao número de 52 milhões de brasileiros empreendedores, de acordo com uma pesquisa realizada pela GEM (Global Entrepreneurship Monitor).

E o que a internet tem a ver com tudo isso?

Olhando agora por um prisma mundial, os tempos são outros. A forma de empreender mudou e essa transformação está essencialmente ligada à tecnologia e à internet, com todos os leques de novas oportunidades oferecidas. É possível vender pelas redes sociais e estabelecer uma conexão com o consumidor nunca antes vivenciada. É nesse momento que entra o empreendedorismo digital.

Ser dono do próprio negócio sempre foi e continuará sendo o desejo de muitos. Isso não mudou, apenas aumentou. Mas, hoje é possível começar um novo negócio e gerenciá-lo da própria casa, sem sequer sair do lugar e sem uma grande equipe ou um grande investimento. A inovação e a tecnologia são os pilares desse modelo de negócios.

Se bem planejado, o empreendedorismo digital pode dar grandes lucros em pouco tempo. Mas cuidado. Agora, além dos empreendimentos fixos, é preciso conhecer o mundo virtual e os concorrentes desse novo universo.

O consumidor que navega pela internet buscando os serviços e produtos deve ganhar uma atenção especial – é um perfil curioso, analítico, que tem diversas opções na palma da mão para comparar e escolher. Logo, a necessidade de encantar, oferecer qualidade e diferenciais se torna ainda maior: o ambiente é mais desafiador.

Por que optar por esse tipo de negócio?

A infinidade de segmentos é um dos atrativos do empreendedorismo digital, além dos diferentes modelos a investir. Um e-commerce de brinquedos ou roupas, por exemplo, um site de cursos online, aplicativos ou até um blog sobre cinema são opções que podem ser adotadas.

Quem aí não se viu baixando um aplicativo como o Waze ou comprando um presente por um site? É a nossa realidade atual. E existem duas escolhas: surfar com a maré e se reinventar, até mesmo para quem sempre se manteve no meio físico, ou ficar para trás...

Além disso, existem diversas ferramentas digitais que ajudam a segmentar o público, divulgar o produto/serviço, impulsionar as vendas e criar um relacionamento próximo com o cliente, tudo isso sem barreiras geográficas e de forma flexível. Pense numa livraria que sequer existe no meio físico: A Amazon no Brasil é um exemplo: vende os livros e não possui um local físico onde os clientes possam adquiri-los.

Nesse momento, o empreendedorismo digital dá uma lição: é preciso usar a criatividade e encontrar novos meios de vender. Teasers sobre o produto nas redes sociais, por exemplo, chamam a atenção. Nesse momento, vale soltar a imaginação e conhecer muito o público-alvo.


e-mail: coordenacao@itescs.com.br


(11) 4221-5011


Scroll to Top